Friday, 24 de September de 2021

Deslizamento de aterro deixa três veículos soterrados em mina de Sarzedo, na Grande BH, deixando moradores assustados

Sarzedo sofre deslizamento de talude em mina da empresa itaminas

As especulações iniciais sugerem que o rompimento da barragem causou o deslizamento em Sarzedo, no entanto, a empresa Itaminas negou que essa informação seja verídica.

Nessa última segunda-feira, (09), começou a circular pelas redes sociais, diversas filmagens que mostram um deslizamento de talude em uma obra. A princípio, acreditava-se que se tratava do rompimento de uma barragem. Ao perceber a repercussão de tais mídias e fake news sobre a mina de Sarzedo, na Grande BH, a própria empresa, Itaminas, utilizou suas redes sociais para esclarecer o que realmente aconteceu.

No entanto, seja o rompimento de uma barragem ou somente um deslizamento, a ação acabou deixando os moradores locais com pânico que algo mais grave viesse a acontecer. Afinal, imagina estar em um dia normal de trabalho ou estudo e simplesmente saber que uma barragem se rompeu!

Veja outros artigos interessantes:

Deslizamento de talude em Sarzedo não foi ocasionado por barragem

Devido a grande cobrança pela população, seja local ou nacional, a empresa divulgou uma nota de esclarecimento em suas redes sociais. De acordo com a Itaminas, “trata-se de um escorregamento de aterro em obra civil, não havendo vítimas ou danos ambiental nem tampouco qualquer relação com as barragens, que mantêm os níveis de segurança dentro dos padrões exigidos. Todas as medidas corretivas estão sendo tomadas”.

Para saber se a empresa estava passando as informações verídicas acerca do que aconteceu em Sarzedo, o Corpo de Bombeiros foi acionado e verificaram o que realmente aconteceu naquele local. Segundo eles, os engenheiros da mineradora estavam no meio de uma remoção de solo. Em conjunto com um sistema de drenagem e um aterro. Em determinado momento, em uma área mais limitada, um escorregamento de talude aconteceu.

Segundo o tenente Jader Junio Correia, apesar da barragem estar localizada a uma distância de somente 1 quilômetro, não foi atingida ou rompida. Outro departamento que também está investigando a fundo acerca do que realmente aconteceu é a Defesa Civil de Minas Gerais. Em seu comunicado, afirmam que estão acompanhando de perto o ocorrido e reiteram que não houve rompimento de barragem, somente um deslizamento na mina, que não deixou feridos, mas três carros soterrados.

Imagem do Globocop mostra o deslizamento de talude que deixou 3 veículos soterrados em mina de Sarzedo. Fonte: Globocop
Imagem do Globocop mostra o deslizamento de talude que deixou 3 veículos soterrados em mina de Sarzedo. Fonte: Dudu BarbattiGlobocop

De acordo com o divulgado, a situação já foi resolvida e encontra-se estável. Agora, é aprofundar um pouco mais as investigações e confirmar se a Itaminas realmente está sendo verdadeira ou não com os moradores da região metropolitana de Belo Horizonte.

Relatos de moradores revelam o quão assustados foi a situação

Para ouvir a voz da população e o que eles tinham a dizer sobre tal situação aterrorizante, o jornal “O Tempo”, entrevistou alguns moradores de Sarzedo e os questionou acerca do acontecido. Luane Ketlin Valadão, autônoma de 21 anos, revela que não se sente segura morando na cidade, afinal, não é a primeira vez que rompimentos de barragens são notificadas.

Para ela, a cena de helicópteros sobrevoando o céu e a família mandando inúmeras menagens para saber de seu paradeiro, a deixou muito assustada. No entanto, após as notícias que saíram no jornal, tranquilizando a população, ela ficou mais calma. Outro que se mostrou bastante preocupado com a situação foi o deputado federal Rogério Correia.

Em suas redes sociais, ele compartilha que a situação já havia sido esclarecida pelas autoridades locais e pela empresa Itaminas. No entanto, para ele, esse deslizamento de mina em Sarzedo é uma situação preocupante, afinal, Minas Gerais vem sendo bastante reconhecida rompimentos de barragens. Dessa vez, a situação foi resolvida rapidamente, mas, quem sabe quando será a próxima vez? É impossível dizer, mas, desde já, a população já fica amedrontada em simplesmente, sair de casa.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.