Thursday, 28 de October de 2021

Considerada uma das maiores empresas no setor de mineração, a mineradora Vale paralisa novamente operações na mina Onça Puma

Mineradora Vale, considerada uma das maiores companhias na exploração do níquel, é acusada de praticar mineração prejudicial na mina Onça Puma

Por causa da exploração de níquel que ocorre na mina Onça Puma, mineradora Vale foi punida e foi obrigada a paralisar suas atividades no local

Devido aos vários incidentes que acometem o setor de mineração, muitas são as ocasiões onde as empresas se veem obrigadas a tomar medidas drásticas para solucionar o problema. Um exemplo disso é a mineradora Vale, que anunciou publicamente nessa segunda-feira, (04/10), a paralisação das operações de sua maior mina de níquel no Brasil, a de Onça Puma. A decisão foi tomada após a companhia ter perdido a licença ambiental, graças à autoridade local, que há anos vem questionando acerca da poluição causada pela exploração.

Leia mais notícias do setor:

Laboratório de Mineralogia Aplicada da CMOC Brasil é referência no setor de mineração

Com investimento milionário, Harvest Minerals irá instalar usina de energia solar para projeto de mineração em Arapuã

Exploração de níquel da Mineradora Vale causa poluição ambiental e como consequência, tem mina Onça Puma paralisada

Após a notícia de que a Secretaria do Meio Ambiente do estado brasileiro do Pará anunciar a suspensão das atividades devido as irregularidades encontradas, a mineradora tornou a paralisação oficial nessa segunda. Em sua nota divulgada, a explicação dada foi que a suspensão das operações ocorreu tanto na mina, quanto na fábrica de beneficiamento.

Para tentar reverter a situação, a Vale entrou em contato com o secretário regional do Meio Ambiente do Pará, de modo que ele pudesse “conhecer os fundamentos técnicos e jurídicos da decisão, bem como para tomar as eventuais medidas administrativas e judiciais no sentido de reverter a ordem de suspensão das operações da empresa”. Essa não é a primeira vez que a empresa de mineração se envolve com esse tipo de problema ambiental.

Em contrapartida, após saber da nota divulgada pela companhia, considerada uma das maiores no que diz respeito a exploração de ferro e níquel, o porta-voz da Secretaria de Meio Ambiente do Pará complementou o que havia dito anteriormente. Para ele, a produtora de níquel deixou de cumprir algumas exigências, como serviços de fibra ótica e postos de saúde nas cidades que estão próximas à mina. Sendo esses municípios: Água Azul do Norte, Ourilândia do Norte, Parauapebas, São Félix do Xingu e Tucumã.

Desde que teve início as suas operações em 2011, a mina Onça Puma já foi alvo de diversos embates judiciais. Dentre esses processos, podemos citar o que acusa a mineradora Vale de contaminar o Rio Cateté, localizado na Região Amazônica. A contaminação foi causada pela presença de metais pesados, descartados indevidamente. Ameaçando a saúde dos índios da etnia Xikrin, que vivem no local.

Problemas ambientais causados pela mineradora Vale causa paralisações em suas operações nas fábricas e mina Onça Puma

A mesma mina que está ocasionando problemas ambientais agora, já teve suas operações suspensas anos atrás, mais especificamente, em 2017, por apresentar os mesmos problemas. No entanto, dois anos após a paralisação, foi autorizada novamente pelo Supremo Tribunal Federal, a retomar com a exploração do níquel na região. Em sua defesa, desde o início das acusações, a mineradora Vale nega que suas operações causem danos para o meio ambiente ou os indígenas que vivem no local.

São tantas acusações contra a companhia, que a Outokumpu, siderúrgica estatal finlandesa que compra níquel diretamente com a Vale, iria reavaliar todas os relatórios e investigar a fundo, se a mineradora realmente é culpada por atos de poluição ambiental proposital. No entanto, essa não foi somente a primeira parceira abalada dentro do setor de mineração, ocasionada pela irresponsabilidade da mineradora Vale.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.