Thursday, 28 de October de 2021

Laboratório de Mineralogia Aplicada da CMOC Brasil é referência no setor de mineração

Um marco na mineração foi a criação do Laboratório de Mineralogia Aplicada (LMA) pela CMOC Brasil para fazer pesquisas após a exploração mineral de compostos como o nióbio

Com investimento milionário, o Laboratório de Mineralogia Aplicada tem gerado o retorno positivo para a empresa, além de produzir resultados impecáveis, contribuindo amplamente para a exploração mineral

Devido a quantidade de incidentes que ocorrem no setor da mineração, as empresas estão buscando métodos eficazes que para que a exploração mineral não atinja o meio ambiente de forma negativa. Dessa forma, nessa terça-feira, (28/09), foi dado um passo importante na história da mineradora CMOC Brasil. A companhia anunciou a implantação do Laboratório de Mineralogia Aplicada (LMA) em Ouvidor, Goiás. As pesquisas e análises com nióbio e fosfato que estão sendo realizadas no local, tem permitido a empresa evoluir de diversas formas.

Confira outras notícias no setor de mineração:

Laboratório da CMOC Brasil conta com os melhores equipamentos da atualidade para realizar as análises com o nióbio e outros compostos provenientes da exploração mineral no setor de mineração

Apesar de estar dando bons resultados, o LMA está situado na planta de Nióbio, onde é considerado o primeiro laboratório dentro dessa linha de pesquisa, a nível dessa unidade. Para ele começar as suas operações, foi necessário desembolsar o equivalente a R$ 12,5 milhões. No entanto, apesar do valor milionário, o retorno da mineradora CMOC Brasil tem sido positivo, seja em relação a qualidade das análises, atividades que agora poderão ser desenvolvidas mais rapidamente. Com o laboratório a sua disposição, a companhia terá resultados mais rápidos, lhe rendendo uma maior autonomia.

“O LMA nos mune de informações mais ágeis e precisas sobre nossos depósitos, permitindo o direcionamento assertivo de nossa estratégia de extração e beneficiamento de nióbio e fosfatos. Dessa forma, podemos oferecer produtos cada vez mais alinhados às necessidades de nossos clientes”, relatou Jiehui Zhang, diretor-executivo da CMOC Brasil.

Laboratório de Mineralogia Aplicada
Laboratório de Mineralogia Aplicada – Crédito: divulgação

Graças aos avanços tecnológicos, o setor de mineração pode contar com os melhores equipamentos para auxiliar nas atividades desenvolvidas. Partindo desse pressuposto, o Laboratório de Mineralogia Aplicada está equipado com as melhores máquinas, assim como, a melhor e mais preparada equipe para atender as necessidades impostas pela exploração mineral. Dessa forma, dentro do LMA é possível encontrar os seguintes equipamentos:

  • difratômetros de raios X (DRX)
  • microscópios eletrônicos de varredura (MEV)
  • microscópios ópticos
  • acessórios e softwares de análise automática de imagens (TIMA)

De forma sucinta, podemos caracterizar esses softwares como sendo excelentes ferramentas que poderão ser utilizadas no decorrer de uma análise. Que permitem auxiliar as usinas de nióbio e fosfato, acerca da concentração desses compostos em determinados locais. O TIMA, permite também um certo conhecimento quanto a variabilidade dos minerais que podem ser encontrados nos depósitos.

Conheça um pouco mais sobre a CMOC Brasil e seu laboratório

Apesar de ter levado cerca de dois anos para ser construído, a espera valeu a pena! Mesmo tendo sido inaugurado em agosto, o LMA já se tronou uma referência para a empresa. Afinal, conseguiu elevar o seu patamar a nível de pesquisas desenvolvidas somente por laboratórios universitários e nos Centros de Pesquisas com anos de atuação. A partir de agora, não haverá necessidade em esperar para realizar suas próprias pesquisas com o nióbio proveniente da extração mineral.

A CMOC Brasil é responsável por empregar mais de 4 mil empregados em suas duas minas e nas três plantas industriais em território brasileiro. Atuando no setor de mineração, sua especialidade é com o fosfato e o nióbio, afinal, é considerada como sendo a segunda maior produtora desse último composto, a nível mundial. Já no ranking de fornecedora de fertilizantes fosfatados, segue entre os primeiros lugares.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.