Monday, 23 de May de 2022

Vale inicia processo de descaracterização de barragem com risco de transbordamento em suas operações da mineração no estado de Minas Gerais

A mineradora Vale iniciou os preparativos para a descaracterização da barragem Grupo, uma das suas operações no ramo da mineração em Minas Gerais, após os riscos de transbordamento da estrutura

A mineradora Vale iniciou os preparativos para a descaracterização da barragem Grupo, uma das suas operações no ramo da mineração em Minas Gerais, após os riscos de transbordamento da estrutura

A gigante no ramo da mineração, Vale, iniciou nesta semana os preparativos para o processo de descaracterização da barragem Grupo, localizada em Ouro Preto, Minas Gerais. Ao ser questionada sobre o assunto, os representantes da companhia revelaram nessa terça-feira, (15/03), que a empresa está cada vez mais comprometida com a segurança de suas operações. E que irá continuar com a descaracterização de todas as barragens a montante com risco de transbordamento no estado.

Veja também:

Vídeo: Desastre em Brumadinho deixou todos em alerta em relação as barragens da Mineradora Vale

Fonte: Record

Barragem Grupo, localizada em Minas Gerais, passará pelo processo de descaracterização pela companhia Vale, que já iniciou os preparativos para a ação 

A tragédia acontecida em Brumadinho no ano de 2019, com o transbordamento de uma estrutura no ramo da mineração, causou um grande alerta entre as companhias do setor, em relação à segurança nas suas estruturas. Assim, uma série de barragens parecidas com a de Brumadinho receberam um aviso para o processo de descaracterização e a Vale irá realizar a ação em uma delas, a barragem Grupo, localizada em Ouro Preto, no estado de Minas Gerais. 

Dessa forma, a mineradora Vale iniciou o processo de descaracterização dessa barragem com a coleta de amostras de rejeitos com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre as características do material disposto no reservatório. Essa é uma forma de garantir um maior conhecimento sobre como está a estrutura da barragem, que tem risco de transbordamento e contaminação, em razão dos rejeitos das operações na mineração. Além disso, a barragem já conta com uma estrutura de contenção finalizada, que também serve as barragens Forquilhas I, II, III e IV, minimizando os riscos atuais de transbordamento nos locais. 

O processo de coleta de dados será feito de forma integralmente mecanizada durante essa fase inicial, com equipamentos como escavadeiras e caminhões, para reduzir os possíveis riscos de contaminação humana no local. A mineradora também está realizando os processos de sondagens e a continuidade do bombeamento constante da água superficial do reservatório, bem como uma instalação de instrumentos complementares para monitoramento da situação atual da barragem, como forma de acelerar a descaracterização da estrutura durante os próximos meses. 

Mineradora Vale reafirma o seu compromisso com a descaracterização das barragens com riscos iminentes em suas operações da mineração no estado de Minas Gerais 

Apesar de estar em nível de emergência 2 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM), a barragem Grupo, localizada em Ouro Preto, não possui moradores ativos no seu entorno, o que garante mais segurança em um possível transbordamento no local. Essa é uma das 23 estruturas a montante que precisam passar pelo processo de descaracterização durante os próximos anos e a mineradora Vale tem se mostrado bastante aberta à aceleração dessas ações, uma vez que elas irão garantir mais segurança e confiabilidade na companhia. 

Dessa forma, a gigante no ramo da mineração liberou uma nota comentando alguns pontos importantes dentro do processo de descaracterização dessa barragem e ressaltou que “A eliminação de todas as barragens a montante é um dos pilares no princípio de garantia de não repetição de rompimentos como o de Brumadinho, tendo como prioridade, sempre, a segurança das pessoas e cuidados com o meio ambiente”.

Essa é uma forma de garantir olhares mais amigáveis para as suas operações na mineração dentro do estado de Minas Gerais, após 3 anos desde a tragédia em Brumadinho, que deixou a cidade bastante abalada. Assim, o que se espera agora é que a Vale continue com seus esforços para garantir a desativação de todas as barragens a montante que ainda precisam passar por esse processo.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.