Início Por essa você não esperava! Apesar da baixa produtividade do aço no Irã, preços continuam caindo com a Rússia ofertando metal a preços abaixo do previsto pela commodity. Queda chega a 48% em um ano!




Por essa você não esperava! Apesar da baixa produtividade do aço no Irã, preços continuam caindo com a Rússia ofertando metal a preços abaixo do previsto pela commodity. Queda chega a 48% em um ano!

julho 1, 2022 às 1:00 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Apesar da baixa produtividade do aço no Irã, preços continuam subindo com Rússia ofertando metal a preços abaixo do previsto pela commodity. Queda chega a 48% em um ano! - Canva
Fonte da imagem: Canva

A produção de aço no Irã caiu pelo quarto mês consecutivo. Entretanto, apesar da queda de produtividade de grandes exportadores, o preço internacional continua caindo, o que estava fora das expectativas de analistas, que estimavam nova alta pela “inevitável” falta de estoques, o que acontece é que a alta não entrará em vigor por alguns meses, visto que a Rússia está exportando, para inúmeros países, altas demandas do metal a preços abaixo do previsto pelas commodities, tornando a sua negociação mais rentável e atrativa. 

A Rystad Energy publicou que o Irã, que está entre os 10 maiores exportadores de aço do mundo, teve queda de sua produção em ao menos 10% no mês de maio. Apesar das expectativas negativas do preço do metal, que poderia voltar a subir, ele permanece em queda de 48% nas últimas 52 semanas porque o mercado recebeu uma enxurrada deste produto: a Rússia está vendendo altas quantidades de bobinas para países parceiros a preços menores que os concorrentes que “seguiram a onda de Biden”. 

Leia mais: 

Alistair Ramsay, vice-presidente da Rystad, afirma que exportadores estão saturados com intensivas promoções russas 

Alistair Ramsay, vice-presidente da Rystad, afirmou que os exportadores estão enfrentando baixa demanda do mercado de aço porque uma parcela dos países, que antes efetuavam a compra, agora negociam com os russos para obter descontos maiores.  Não é somente o metal  russo atingido pelas sanções dos Estado Unidos (EUA) e União Europeia (UE), como também o petróleo e outros produtos que, até então, eram exportados em grande escala pelo país liderado por Putin, tornando países em desenvolvimento dependentes. 

 Joe Biden afirmou que removerá as restrições aplicadas a Putin somente quando a guerra com os ucranianos  terminar. Entretanto, Putin se mostra decidido em continuar com as invasões e afirma que serão cessadas após o acordo entre os dois países sobre a não participação de ambos em grupos militares como a Otan. 

Demandas russas por aço tendem a cair mais de  13 milhões de toneladas métricas por ano

Apesar do presidente russo insistir que as sanções não impactaram a economia, a S&P Global Commodity Insights afirmou, no mês de março, que as demandas russas tendem a cair mais de 30% ao ano ou cerca de 13 milhões de toneladas de metros cúbicos.  No entanto, a pesquisa não esperava a iniciativa de Moscou em vender aço a preços mais baixos de modo a reconquistar o mercado e impedir que os números de exportação caíssem.  

Os impactos do conflito entre a Rússia e a Ucrânia no Irã foram claros: os gráficos mostram que as exportações estavam aumentando até o mês da invasão, fevereiro.  Em fevereiro, as exportações haviam aumentado mais de 85% em relação ao ano anterior, cerca de 400 mil toneladas de aço exportadas para diversas outras regiões do mundo. Desde então, vem caindo exponencialmente. 

Relacionados
Mais recentes