Início UFG assina contrato para mapear oportunidades no setor mineral




UFG assina contrato para mapear oportunidades no setor mineral

junho 26, 2022 às 9:17 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
setor mineral
Setor mineral (Reprodução: divulgação)

Em busca de encontrar novas oportunidades no setor mineral, a Reitoria da Universidade Federal de Goiás (UFG) em parceria com a Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SIC) e a Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape) assinou no último mês um contrato a fim de fomentar o desenvolvimento do setor mineral.

Nomeado de “Mapeamento de Oportunidades de Crescimento do Setor Mineral em Goiás 2022 – 2042”, o projeto foi apresentado no Auditório da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (PRPI), situado no Parque Tecnológico Samambaia (Câmpus Samambaia) da UFG, situado em Goiânia.

Dessa forma, a reitora da UFG, Angelita Pereira de Lima, afirmou que a proposta é essencial para a sociedade goiana, além de possuir uma grande importância para a Universidade Federal de Goiás. Neste sentido, podemos dizer que a iniciativa é uma forma de fomentar o setor mineral na região.

Sobre a proposta, ela mencionou que o mapeamento visa subsidiar o desenvolvimento de políticas de exploração de minérios no Estado de Goiás. Portanto, a Universidade pretende analisar, diagnosticar e oferecer o suporte necessário a para criação de tal política pública, que visa o desenvolvimento.

Sendo assim, a proposta visa que, entre o período de 2022 a 2042, o setor mineral seja fortalecido em Goiás, gerando empregos, fomentando a economia, e levando ao mundo um espaço de mineração consciente e responsável com a natureza e o território estadual.

Ademais, um dos coordenadores do projeto, José Nogueira Neto, que é professor de Geologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia, apontou que a iniciativa será prosseguida por um grupo de professores da Universidade, que coletaram informações sobre demandas, legislação, questão histórica e oportunidades do setor mineral para apresentação ao Governo.

Além dos citados, Joel de Sant´Anna Braga Filho, que é titular da SIC, afirmou que o programa surgiu a partir de diversos projetos feitos em parceria entre a UFG e o Governo de Goiás, indicando que a exploração do setor mineral e as iniciativas sobre o programa devem ser desenvolvidas em breve.

Setor Mineral: Um cenário fundamental para o Brasil

Em todo o mundo, a mineração é um grande suporte financeiro e econômico. No Brasil, a atividade do setor mineral é extremamente rica, devido ao potencial do solo nacional, sempre caracterizado pela diferença e riqueza. Basicamente, podemos definir a mineração como um dos setores básicos da economia brasileira.

Boa Semana UFG  (Canal: UFG oficial)

Dessa forma, por conta da extensão do Brasil, é comum que o setor mineral tenha grandes investimentos, afinal, o retorno sobre a sua exploração garante sustentabilidade e geração de renda, um dos pilares da economia. Sobre a mineração, confira algumas vantagens que ela oferece ao Brasil:

Equilíbrio da Economia

Primeiramente, podemos dizer que a atividade no setor mineral é capaz de equilibrar os índices de crescimento nacional. Em 2017, o recorde de superávit na balança comercial mostrou o poder do setor para a economia brasileira. Isso porque o minério de ferro é um dos grandes commodities que o Brasil possui.

Além disso, outros fatores como os recordes de produção da Vale e o alto valor dos minérios contribuem significativamente para o valor das exportações nacionais. Sendo assim, como resultado do setor mineral, temos uma quantidade de exportação maior do que as de importações.

Fenômenos Sociais Equilibrados

Atualmente, a extração de minérios está associada aos fenômenos sociais e está vinculada ao crescimento e desenvolvimento do Brasil. Sendo assim, isso ocorre desde o Brasil Colônia, pois a atividade já era forte na época. Neste sentido, a extração de ouro e outros minerais foi responsável pela riqueza da colônia portuguesa, o que tornou o hábito frequente no Brasil.

Alta do PIB nacional

Primeiramente, o setor mineral é um dos mais lucrativos do Brasil. Isso porque cerca de 5% de todo o PIB brasileira vem da mineração. Por ela, diversos produtos para diversos tipos de indústria são gerados, tais como fertilizantes, siderúrgicas, petroquímicas e metalúrgicas.

Por conta desse alto potencial, diversas iniciativas governamentais têm surgido nos últimos anos. Elas possuem foco no investimento e na rápida modernização do setor. Como consequência, haverá um crescimento exponencial do segmento e os retornos para a economia brasileira serão vistos a curto prazo.

Importância Histórica

Desde o Brasil colônia, a mineração é uma das formas mais assertivas de investimento. Isso porque ela oferece um bom retorno financeiro onde, na época, a extração de minérios foi responsável pela ocupação do território nacional, tendo como consequência o equilíbrio econômico do país.

Neste sentido, com a grande geração de riquezas, o mercado internacional se interessou pelo setor mineral no Brasil. Portanto, desde o século XVII, o interior do país é constantemente explorado, recebendo inúmeras expedições em busca de pedras preciosas e metais valiosos – hábito que existe até os dias atuais.

UFG busca Novas Oportunidades no Setor Mineral

Nos últimos dias, a Reitoria da Universidade Federal de Goiás (UFG) junto a Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SIC) e a Fundação de Apoio à Pesquisa (Funape), assinaram um contrato a fim de estimular o setor mineral no estado de Goiás.

Neste sentido, o Auditório da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (PRPI), do Parque Tecnológico Samambaia (Câmpus Samambaia) da UFG, em Goiânia, foi palco de um evento que apresentava o documento. Por lá, a reitora da UFG, Angelita Pereira de Lima, informou que a iniciativa é de grande importância para a Universidade, além de apresentar vários benefícios para a sociedade goiana.

Basicamente, o mapeamento irá subsidiar o desenvolvimento de políticas de exploração de minérios no estado de Goiás. Sendo assim, a análise, diagnóstico e suporte para a criação dessa política pública será desenvolvido pela própria Universidade, que acredita no desenvolvimento social com o projeto.

Apesar das oportunidades cedidas pela UFG, garantias de melhoria estão sendo processadas e atualizadas. Como chaves de emergência por cabo e adaptadores com sinais dinâmicos aumentam eficiência de correias transportadoras: economia e segurança na mineração.

Por fim, o plano visa que, entre 2022 e 2042, seja possível o fortalecimento do setor mineral em Goiás. Como consequência, teremos uma fomentação da economia, gerando empregos e explorando a mineração conscientemente e plena em Goiás.

Relacionados
Mais recentes