MENU
Empregabilidade
Menu
Início China comprando muitas commodities? Mais de 25% do PIB é voltado para construção civil, demanda por ferro aumentará em 20%. Veja como isso impacta o Brasil!




China comprando muitas commodities? Mais de 25% do PIB é voltado para construção civil, demanda por ferro aumentará em 20%. Veja como isso impacta o Brasil!

novembro 29, 2022 às 11:04 am
Compartilhe
Siga-nos no Google News
China comprando muitas commodities? Mais de 25% do PIB é voltado para construção civil, demanda por ferro aumentará em 20%. Veja como isso impacta o Brasil!
Fonte da imagem: assessoria de imprensa SIMEXMIN

A China deve superar, até o final desta década, os Estados Unidos. A pandemia da Covid-19 foi decisiva no PIB – Produto Interno Bruto do país. Nos últimos anos, houve um enorme aumento nos investimentos estatais na construção civil, o que aumentou expressivamente a demanda por commodities minerais.  

Marcio Farid, vice-presidente do Goldman Sachs Brasil, afirmou, em coletiva de imprensa, que a China pode aumentar consideravelmente a sua demanda por commodities minerais, principalmente o ferro. Isso acontece porque 25% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) se envolve na construção civil. 

Isso impacta diretamente o Brasil, justamente porque as empresas se baseiam nas commodities para determinar os preços. Quanto maior a demanda externa e o dólar mais caro (R$5,32), mais elevado se torna o preço da construção civil aqui.

Artigos recomendados

Com um cenário desafiador, é provável que mais de 20% de toda a demanda de ferro seja destinada para a China nos próximos anos. Ocasionando, provavelmente, em um novo aumento de cotações. Nesta terça-feira, 29 de novembro, o minério atua com alta de 0,32% enquanto o acumulado das últimas 52 semanas é de -1,8% após a elevação de preços ocasionada pela crise entre a Rússia e a Ucrânia. As commodities de minerais não foram as únicas que apresentaram fortes elevações nos dois últimos anos, o petróleo dobrou de preço neste período!

A demanda de cobre pelos chineses e a construção civil também crescerá rapidamente, chegando a mais de 800 mil toneladas, impulsionada também pela tentativa oriental em realizar a transição energética e diminuir as emissões de dióxido de carbono até 2030. 

Além da construção civil: Descarbonização da China na siderurgia ocasiona em uma intensa busca por commodities de ferro e cobre

O Simpósio Brasileiro de Exploração Mineral – Simexmin, que acontece até esta quarta-feira, 30 de novembro, debateu sobre a transição energética realizada pela China e como a globalização impacta neste processo, inclusive, quais são as influências disso na economia brasileira.

A transição energética e a maior busca por commodities  como ferro e cobre aumentam a necessidade de mineração, ocasionando impactos ambientais diretos.  O Simexmin contou com mais de 1200 participantes e aconteceu no Parque Metalúrgico de Ouro Preto. Empresários de vários países participaram. 

Segundo Márcio Goto, gerente comercial da Project Blue, outros materiais também terão a demanda inflada, principalmente o nióbio e o vanádio, pois são utilizados para o desenvolvimento de ligas especiais. 

O lítio de baterias, principalmente para o uso em carros elétricos, sofre com fortes demandas, enquanto a mineração não consegue acompanhar o pico para manter a mesma produtividade, tornando os preços mais elevados. Tendo isso em vista, a variação do metal em apenas um ano chega a mais de 170%. 

A situação econômica do lítio é consideravelmente delicada. Afinal, diversos empresários fora do Brasil já foram acusados de estar investindo no país apenas com interesse na mineração deste metal. Elon Musk, dono da Tesla que se tornou conhecido devido aos seus investimentos em criptomoedas, é um deles. 

Acompanhe o Mineração Brasil para se manter atualizado sobre todas as notícias relacionadas a metais, vagas de emprego na área e novos investimentos do setor. 

Relacionados
Mais recentes