Monday, 23 de May de 2022

Mizu Cimentos recebe licença ambiental para iniciar mineração de calcário em mina do Rio Grande do Norte e pretende expandir exploração do minério

O calcário é o minério essencial para a produção da empresa e a Mizu Cimentos finalmente irá iniciar a mineração da matéria-prima na sua mina no Rio Grande do Norte, com a liberação da licença ambiental necessária

O calcário é o minério essencial para a produção da empresa e a Mizu Cimentos finalmente irá iniciar a mineração da matéria-prima na sua mina no Rio Grande do Norte, com a liberação da licença ambiental necessária

A última sexta-feira, (25/03), foi de grande importância para a expansão na produção e vendas da Mizu Cimentos no mercado nacional, uma vez que a companhia conseguiu a licença ambiental necessária para iniciar a mineração do calcário na mina do Rio Grande do Norte, que será essencial para a utilização do minério na produção de cimentos ao longo das atividades.

Não deixe de conferir:

Idema oferece licença ambiental necessária para a Mizu Cimentos iniciar a mineração do calcário na mina de Baraúna, no estado do Rio Grande do Norte 

A Mizu Cimentos é uma das maiores companhias no ramo das construções, sendo a principal do Brasil na produção e comercialização de cimento, produzido a partir do minério do calcário. Assim, a empresa estava bastante interessada em iniciar a mineração da matéria-prima em uma mina localizada na região de Baraúna, no Rio Grande do Norte, mas precisava aguardar a finalização dos processos e a liberação de mais licenças para iniciar as atividades no local. 

Agora, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema forneceu a licença ambiental necessária para o início das operações na mina de Baraúna e a Mizu Cimentos poderá iniciar os processos da mineração do calcário já nos próximos meses. A mina localizada no Rio Grande do Norte possui uma área de 182,81 hectares, sendo, portanto, a maior do estado. Além disso, a licença tem validade de seis anos e a Mizu Cimentos poderá expandir cada vez mais a sua produção de cimento com o aproveitamento das reservas de calcário que estão localizadas no estado. 

A companhia é bastante reconhecida no processo da produção dos seus produtos em razão da utilização modernizada de sistemas de planejamento, monitoramento de lavra, os quais garantem uma performance mais eficiente do ponto de vista operacional e ambiental, o que facilitou a liberação da licença ambiental por parte do Idema. O projeto da Mizu Cimentos é chamado de Mina Velame II e o empreendimento é responsável pela geração de 70 empregos diretos, de um total de 370 empregos gerados pela fábrica, garantindo assim um maior desenvolvimento socioeconômico para a região. 

Idema explica a importância do desenvolvimento da mineração do calcário para o crescimento socioeconômico do estado do Rio Grande do Norte

Entre os principais pontos acordados na licença ambiental liberada pelo Idema, alguns afirmam que a Mizu Cimentos terá que se responsabilizar pela adoção de um sistema de drenagem de águas pluviais eficiente, para evitar erosão e desmoronamentos na área de lavra e suas proximidades; assim como, encaminhar anualmente, os relatórios sobre a operação, e semestralmente, mais dados sobre a segurança das operações, visando garantir assim um bom funcionamento da mina de extração do calcário durante os próximos anos. 

Assim, a supervisora do Núcleo de Atividades de Extração Mineral do Idema, Ana Valéria, comentou sobre a relevância da exploração na região e destacou: “A extração de calcário, desenvolvida pela empresa, alinha a atividade com os aspectos geoambientais da Região em que estão instalados. Atenta as demandas do licenciamento e o cumprimento da legislação ambiental, a empresa possui significativa relevância no cenário local e regional, o que fortalece a mineração no Estado. E a concretização do licenciamento, além dos monitoramentos realizados, são instrumentos essenciais na gestão sustentável da atividade”.

A companhia Mizu Cimentos já atua no mercado nacional há mais de 20 anos e, agora, pretende expandir ainda mais a sua relevância dentro do segmento da construção civil e da mineração, com novos projetos sendo desenvolvidos durante o ano de 2022 para que isso aconteça.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.