Monday, 23 de May de 2022

Mato Grosso do Sul receberá mais três mineradoras que irão gerar mais de 300 oportunidades de emprego com foco na mineração de ferro, manganês e basalto no estado

Mais de 300 oportunidades de emprego serão disponibilizadas para os moradores do Mato Grosso do Sul, com foco naqueles capacitados para a mineração de ferro, manganês e basalto, foco principal das mineradoras recém-chegadas

Mais de 300 oportunidades de emprego serão disponibilizadas para os moradores do Mato Grosso do Sul, com foco naqueles capacitados para a mineração de ferro, manganês e basalto, foco principal das mineradoras recém-chegadas

Por meio da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), o governo do estado do Mato Grosso do Sul anunciou nesta quarta-feira, (06/04), a chegada de mais três mineradoras para o estado. A MPP/4B Minning, a 3A Mining e a Mineração São Francisco são especializadas na mineração de ferro, manganês e basalto e pretendem gerar mais de 300 oportunidades de emprego para os moradores da região.

Leia também:

Chegada da MPP/4B Minning, 3A Mining e Mineração São Francisco marca grande avanço para o desenvolvimento da mineração no estado do Mato Grosso do Sul 

Visando atrair cada vez mais investimentos para o setor da mineração e expandir ainda mais a exploração dos recursos disponíveis na região, o governo do estado do Mato Grosso do Sul anunciou a chegada de três novas mineradoras ao estado, a MPP/4B Minning, a 3A Mining e a Mineração São Francisco, que focarão na exploração de minérios como o ferro, o manganês e o basalto ao longo dos próximos anos, pretendendo expandir ainda mais os olhares para o setor no MS. 

O Mato Grosso do Sul é o detentor da terceira maior reserva de minério de ferro e a primeira de manganês do Brasil, além de possuir um grande potencial para a exploração do basalto pelas mineradoras. Esse foi o principal fator que levou as três empresas a buscarem parcerias com o governo e iniciarem a exploração dos minérios. Assim, enquanto a MPP/4B Minning e a 3A Mining irão se instalar em Corumbá e Ladário (de ferro e Manganês) no Morro do Rabicho e no Morro Tromba dos Macacos, a São Francisco ficará no município de Inocência.

A  MPP/4B Minning e a 3A Mining pretendem produzir um total de 4 milhões de toneladas de ferro ao longo do primeiro ano no estado e, além disso, têm planos para dobrar a produção durante os próximos anos. A licitação da ferrovia Malha Oeste, que liga Corumbá a Mairinque em São Paulo também contribuirá para que a mineração seja ainda mais expandida dentro do estado do Mato Grosso do Sul após a chegada das empresas. 

Mineração de ferro, manganês e basalto por parte das três novas mineradoras irá gerar mais de 300 oportunidades de emprego para os moradores do MS

O principal objetivo do governo do Mato Grosso do Sul com a parceria entre o estado e as mineradoras é a atração de novos investimentos para o desenvolvimento da mineração e da economia do estado. Assim, com as novas operações de exploração do ferro, manganês e basalto, as companhias esperam garantir aos moradores mais de 300 oportunidades de emprego dentro do segmento e a oferta será ainda mais expandida ao longo dos anos. 

Com isso, o secretário Jaime Verruck, da (Semagro), afirmou que “Estamos em busca de novos investidores e conversando com as empresas, que já tenham pesquisas aprovadas ou com portarias de lavras. Além disso, estamos acompanhando a questão da negociação da Vale e do player que venha a assumir o espaço que empresa ocupa hoje no Estado. Nosso objetivo é que este novo dono faça uma ampliação da produção de minério de ferro e manganês nos próximos anos”.

Um outro ponto que a Semargo destaca é que a chegada das mineradoras garante uma diversificação maior das companhias presentes no estado e expande as oportunidades para novas empresas chegarem à região, trazendo assim mais economia e oportunidades de emprego para os moradores.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.