Friday, 03 de December de 2021

Largo Resources fará investimento milionário em pigmento de titânio

A Largo Resources revela seus planos para investimento em pigmento de titânio, muito utilizado na indústria química e em diversos setores

A empresa Largo Resources comentou acerca dos seus planos futuros para investimento em pigmento de titânio, muito utilizado na indústria química e em diversos setores

A famosa empresa mineradora Largo Resources anunciou, nesta última quarta-feira, (03/11), os projetos futuros da companhia, que incluem um investimento de cerca de US$ 360 milhões nos próximos anos, somente na produção de pigmento de titânio, utilizado principalmente na indústria química. A empresa pretende apostar nesse novo recurso como forma de crescer no mercado atual e potencializar seus lucros.

Veja também:

Pigmento de titânio é a nova aposta da Largo Resources para crescimento no mercado 

Os projetos futuros da mineradora Largo Resources já estão em andamento e a empresa conta com diversos planos para um crescimento maior no mercado, com foco principal na produção de pigmento de titânio. O material é bastante utilizado na indústria química e a companhia pretende expandir a sua produção para crescer nesse setor, com um investimento milionário para que isso ocorra, adaptando as suas linhas de produção e otimizando as operações. 

Segundo o presidente da Largo Resources, Paulo Misk, a empresa pretende fazer um investimento de US$ 230 milhões na produção de vanádio para baterias, em busca de crescer com esse produto, mas que o foco principal é o pigmento de titânio e a companhia investirá cerca de US$ 360 milhões na produção, visando chegar nesse total até o ano de 2031 com uma produção satisfatória para o mercado da indústria química atual, potencializando seus lucros nesse setor. 

O projeto está nas fases iniciais mas a Largo Resources já definiu onde irá ocorrer a produção principal do pigmento de titânio, que se localizará no complexo petroquímico de Camaçari, no estado da Bahia, enquanto a sua mina irá continuar na cidade de Maracás, também na região da Bahia. Assim, a companhia pretende otimizar ainda mais essas linhas de produção com os investimentos que serão destinados ao pigmento de titânio. 

Projeto visa uma expansão gradativa na produção do pigmento de titânio ao longo dos próximos anos

O projeto que visa a expansão na produção de pigmento de titânio da Largo Resources terá um total de três etapas para ser concluído. A primeira delas entrará em linha de produção em 2024 e pretende fazer cerca de 30 mil toneladas do pigmento, já a segunda se iniciará em 2026, com uma produção total de 60 mil toneladas. Por fim, no ano de 2029 irá começar a última fase, que pretende produzir cerca de 120 mil toneladas do produto. Essa produção será, em sua maioria, destinada ao mercado brasileiro, que consome em média 180 mil toneladas do pigmento por ano. 

O presidente da empresa, Paulo Misk, comentou acerca dessa produção gigantesca e como a Largo Resources pretende expandir o seu crescimento no setor da indústria química com isso. O executivo também afirmou que “Nosso plano de mina atualizado contempla uma abordagem de expansão em fases para incluir a produção de pigmento de titânio. Quando combinado com os resultados de nossa produção de vanádio existente, é previsto um fluxo de caixa livre significativo de mais de US$ 4 bilhões ao longo da vida da mina”, disse o executivo em relatório.

O que se espera agora é que a produção total do projeto seja alcançada até o ano de 2031 e a Largo Resources consiga consolidar a sua companhia no setor da indústria química com o fornecimento do pigmento de titânio, em razão do investimento milionário que a empresa irá fazer nessa produção.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.