Friday, 03 de December de 2021

Por US$ 1 bilhão, Sibanye-Stillwater compra ativos da Atlantic Nickel e Mineração Vale Verde

As minas da Mineração Vale Verde e da Atlantic Nickel possuem grande relevância para a mineração brasileira, ao produzir concentrado de níquel e cobre

As minas da Mineração Vale Verde e da Atlantic Nickel possuem grande relevância para a mineração brasileira, ao produzir concentrado de níquel e cobre

Nessa última quarta-feira, (27/10), a empresa sul-africana Sibanye-Stillwater acertou os detalhes finais e por fim, assinou o contrato de compra e venda com a Appian Capital Advisory LLP. Nessa ação, a compra realizada foi de 100% do portfólio da Appian Capital Brazil. Tal portfólio engloba grandes operações da mineração brasileira, no qual possuem operações em dois estados brasileiros, sendo eles Alagoas e Bahia. No estado de Alagoas, a mineradora que atua é a Atlantic Nickel, com a Mina Santa Rita. Já em relação à Bahia, quem possui operações é a Mineração Vale Verde, com a Mina Serrote.

Veja também:

Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) fecha parceria com a Battery Streak para fabricar baterias de íons de lítio usando nióbio

A empresa de metais preciosos, Amarillo Gold, recebe Licença de Instalação para linha de transmissão de energia do Projeto Mina de Posse

Quais serão as vantagens para a mineração brasileira, com essa venda para a sul-africana Sibanye-Stillwater?

Apesar de o contrato já ter sido assinado, a transação completa só deverá ser finalizada no final do ano. Dessa forma, para a Sibanye-Stillwater, essa é uma excelente oportunidade que visa contribuir com a estratégia que a empresa vem montando no setor de metais verdes. Assim, com a nova aquisição a companhia terá sob seu domínio, um total de dois ativos que possuem uma grande importância para a transição energética. Os dois ativos em questão conseguem produzir cobalto, cobre e níquel.

Para que a integração da Mina Santa Rita, comandado pela Atlantic Nickel, ocorra de forma positiva a empresa sul-africana, será necessário a atuação da equipe executiva da Appian Brazil. Onde a equipe estará a cargo de executar a retomada e cuidar para que a implantação do Projeto Serrote seja concluído dentro do prazo estabelecido, usando um orçamento abaixo do esperado.

De acordo com a Appian Brazil, é de suam importância que todos os procedimentos sejam realizados “com padrões de segurança e ESG de classe mundial e com forte alinhamento cultural com a Sibanye- Stillwater. Esta equipe também representa uma plataforma sólida para que a Sibanye- Stillwater continue explorando oportunidades adicionais de crescimento no Brasil e na América Latina”.

O setor de mineração continuará sendo beneficiado com a transação bilionária

O contrato fora assinado evidenciando a aquisição de 100% das ações comandadas pela Atlantic Nickel e Mineração Vale Verde, subsidiárias da Appian Capital Brazil. Dessa forma, as proprietárias da Mina Santa Rita e Mina Serrote irão receber o equivalente à US$ 1 bilhão a ser apurado em dinheiro. Não obstante, a negociação só foi fechada mediante a 5% de royalties NSR (Retorno Líquido da Fundição), através da futura produção subterrânea da Mina Santa Rita.

“Temos muito orgulho do que construímos até́ aqui. Entregamos ao setor de mineração operações eficientes, seguras e sustentáveis. Para o futuro, agora como parte da Sibanye-Stillwater, estaremos estrategicamente muito bem-posicionados no setor global de metais verdes, e participando ativamente da revolução energética. Continuaremos a fazer o que fazemos de melhor, uma mineração inteligente, segura e responsável”, revelou Paulo Castellari, CEO da Appian Capital Brazil.

A mina Santa Rita é considerada uma das maiores produtoras de níquel à céu aberto a nível mundial. Para que o projeto da mina ganhasse vida, foram investidos um total de US$ 1 bilhão, estando localizada na cidade de Itagibá, na Bahia. Já em relação à mina pertencente a Mineração Vale Verde, essa está inserida dentro do segmento de cobre, e fica localizada em Craíbas, Alagoas.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.