Monday, 23 de May de 2022

Agência Nacional de Mineração e OCDE se unem para estudos sobre mineração no Brasil

A Agência Nacional de Mineração e a OCDE estão com um projeto de estudos sobre o setor no Brasil, visando novas soluções para as operações e a transparência com informações

A Agência Nacional de Mineração e a OCDE estão com um projeto de estudos sobre o setor da mineração no Brasil, visando novas soluções para as operações e a transparência com informações

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) se uniu à Agência Nacional de Mineração (ANM), para o desenvolvimento de um projeto de estudos voltados para o setor da mineração no Brasil. Com resultados previstos para quarta-feira, (02/02), em audiência pública, os órgãos pretendem levar informação ao brasileiro e oferecer soluções para as operações no segmento.

Não deixe de ler outras notícias relacionadas:

Projeto de estudos sobre setor da mineração no Brasil é desenvolvido pela OCDE em parceria com a Agência Nacional de Mineração 

O setor da mineração é um dos mais importantes se tratando do mercado brasileiro, uma vez que abre portas para novos empreendimentos e o desenvolvimento socioeconômico, oferecendo novos projetos e oportunidades de emprego periodicamente. Assim, a Agência Nacional de Mineração e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) se uniram para o desenvolvimento de um projeto de estudos voltados para o segmento no Brasil e uma série de informações necessárias para quem quer se aprofundar nessa área. 

O projeto foi consolidado no relatório “Governança Regulatória no Setor de Mineração no Brasil” e a previsão para a liberação para o público é no dia 02 de fevereiro de 2022, uma quarta-feira, durante o Fórum Internacional Virtual ANM-OCDE, com tradução simultânea português-inglês, com participação mediante inscrição na plataforma Zoom e transmissão aberta ao público pelo canal do YouTube da Agência Nacional de Mineração. Assim, o projeto é um grande passo para o desenvolvimento ainda maior do setor da mineração no mercado brasileiro. 

Além disso, o Fórum Internacional Virtual ANM-OCDE, trará uma série de informações sobre o projeto, além de outros debates importantes no segmento. Um ponto essencial é que a reunião será feita visando trazer mais informações para o público e, por isso, poderá ser acessada de maneira gratuita, basta apenas se inscrever NESSE LINK AQUI.

Parceria entre a Agência Nacional de Mineração e a OCDE visa trazer mais informações e soluções para as operações da mineração no Brasil 

Entre os objetivos do projeto de estudos da ANM e da OCDE, o principal é fornecer as informações necessárias tanto para o mercado nacional quanto para o internacional, sobre o panorama geral do Brasil em relação ao setor da mineração. Assim, será mostrada a situação legal, técnica e econômica do setor mineral no Brasil e, além disso, o relatório contém propostas de melhorias para a modernização da atividade no país, com novas soluções para as operações futuras do segmento no mercado brasileiro. 

A qualidade do estudo é garantida pela ANM, uma vez que ele foi realizado junto de especialistas da seção latino-americana da OCDE, por meio de dados fornecidos pelos próprios representantes do setor, com acompanhamento metodológico e revisão de conteúdos pelos técnicos da Superintendência de Regulação e Governança Regulatória da ANM (SRG/ANM). Dessa forma, o projeto poderá ser de grande auxílio para o futuro da mineração no Brasil e o desenvolvimento de novas iniciativas voltadas para melhorias nas operações do segmento. 

Yoshihiro Nemoto, Superintendente de Regulação e Governança Regulatória da ANM, ressaltou que “todas as etapas do trabalho se basearam no profundo expertise dos técnicos envolvidos. Por isso, o estudo possibilita, de um lado, um diagnóstico que melhore o entendimento pela comunidade brasileira e internacional das especificidades econômicas e legais da mineração no país, e, de outro, que o Estado Brasileiro possa promover uma atuação cada vez mais alinhada com as melhores práticas regulatórias mundiais no setor mineral”.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.