Sunday, 25 de July de 2021

Publicidade

Os minérios auxiliando o combate ao COVID-19

Os minérios auxiliando o combate ao COVID-19

Os minérios desde o início das grandes civilizações são grandes aliados da humanidade em diversas áreas, e a ciência e a medicina é uma dessas áreas em que são beneficiadas pela importância do minério no cotidiano da profissão.

Durante a pandemia, ao redor do mundo, diversos centros de pesquisas e indústrias de insumos médicos e equipamentos hospitalares ganharam destaques, pois, nunca na história da humanidade foi necessária a alta produção de luvas, máscaras, agulhas, respiradores e inúmeros equipamentos que são utilizados no cotidiano hospitalar, postos de saúde, laboratórios e etc.

Muitos desses materiais seriam impossíveis de ter sem que houvesse a atividade da mineração, pois, essa atividade está presente em toda a cadeia produtiva que fabrica as máquinas, equipamentos e insumos hospitalares, além também de insumos que possuem minerais que auxiliam na eliminação de vírus e bactérias.

Continue conosco a leitura até o fim deste artigo e confira exemplos de minerais que possuem grande importância no combate ao COVID-19.

  • Cal e Calcário

Esses materiais são utilizados de diferentes formas pela indústria de insumos médicos e de equipamentos hospitalares. Esses materiais são utilizados na manufatura de látex, plásticos, além de EPIs, especialmente para a produção de bolsas de sangue e equipamentos médicos. A cal e seus derivados são utilizados também na higienização e na eliminação de vírus e bactérias e outros patógenos em efluentes líquidos nas estações de tratamento públicas, privadas e plantas industriais.

Sua presença também se dá em criatórios de aves, suínos e bovinos, fazendo um marco também na agricultura e pecuária do país. O Cal e Calcário é presente também na produção de lenços descartáveis, papel higiênico, máscaras protetivas e toalhas de desinfecção. Os materiais também são essenciais para a produção de vidros utilizados na medicina.

  • Cobre

Metal de cor avermelhada que possui propriedades antimicrobiana e uma grande capacidade de eliminar vírus e bactérias que em contato com a superfície deste material, ou uma de suas ligas, possui a sua membrana exterior destruída por íons que são naturalmente liberadas pelo cobre. Sem essa camada de proteção, a estrutura interna do organismo fica exposta e acaba sendo eliminada, nesse processo, até mesmo o material genético do vírus ou bactéria é danificado e isso significa que não houve possíveis mutações e que não tenha acontecido a transmissão. Há tipos de superfícies onde os microrganismos possuem a capacidade de sobreviver por dias ou até mesmo semanas. Já com a superfície em cobre a sobrevida desses vírus e também bactérias seria apenas por algumas horas, o que representa um avanço no combate a doenças de alto contágio. Sua utilização está em ambientes onde há grande circulação de pessoas e incidência de doenças de alto contágio, assim como hospitais, centros médicos, shoppings e etc. A utilização desse material seria uma grande estratégia no combate ao vírus da COVID-19.

  • Prata

Utilizada na fabricação de tecidos capazes de eliminar 99,9% da quantidade de vírus aos quais foram expostos. Utilizada em cirurgias para evitar contaminação por bactérias, a prata ganha cada vez mais seu destaque no combate ao COVID-19 já que quando o átomo da prata entra em contato com o oxigênio, ele passa por um processo químico chamado oxidação, o que faz com que haja a liberação de íons positivos de prata. Esses íons são responsáveis por bloquear funções básicas de microorganismos, assim como a reprodução e produção de energia.

Pesquisadores da NANOX, apoiada pelo Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), desenvolveram um tecido que possui micropartículas de prata em sua superfície, que se mostrou capaz de inativar o coronavírus. O tecido testado em laboratório foi capaz de eliminar 99,9% da quantidade do vírus ao qual foi exposto após dois minutos de contato. O material se dá em sua composição dois tipos de micropartículas de prata impregnadas na superfície por uma mistura de poliéster e algodão.

A empresa está testando também a capacidade de inativação do COVID-19 pelas micropartículas de prata incorporadas à superfície de outros materiais, assim como Filmes Plásticos e Polímero Flexível, material semelhante à borracha.

  • Ferro e Zinco

Estes são materiais essenciais na fabricação de equipamentos hospitalares, assim como os respiradores mecânicos, que estão sendo aparelhos primordiais para a sobrevivência dos pacientes com insuficiência respiratória grave. Sem esse aparelho a falta de ar poderá levar à falência dos órgãos do paciente.

  • Nióbio

O Nióbio é utilizado comumente na fabricação de soluções de limpeza. Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveram uma solução à base de nióbio capaz de proteger diferentes tipos de superfícies do coronavírus por 24 horas. Esse composto produzido para a desativação do vírus está relacionado a uma família de pólio niobatos. Esse composto tem a capacidade de gerar oxigênio que irão desativar de forma eficiente uma elevada carga do coronavírus. Essas espécies de oxigênio são liberadas ao se deparar com vírus ou bactéria.

Aplicada em forma de gel ou líquido em Spray, a solução promete ação prolongada para a limpeza e desinfecção das mãos e não causa reações. O produto se mostrou muito ativo na proteção de superfícies em ambiente doméstico e também em equipamentos e utensílios médicos.

Gostou do nosso artigo? Que tal deixar para nós um feedback com sua opinião nos comentários? Sua opinião é muito importante para nós! Até mais!

Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.