Friday, 03 de December de 2021

Projeto Apolo volta a ser pauta da Vale e será retomado na região de Minas Gerais

Após 12 anos suspenso na mineração, Projeto Apolo será reativado e Vale pretende dar continuidade às operações para a exploração de minérios

Após 12 anos suspenso, o Projeto Apolo, em Minas Gerais, será reativado e a Vale pretende dar continuidade às operações para a exploração de minérios na área

Durante esta última quarta-feira, (24/11), a gigante da mineração brasileira, Vale, anunciou o retorno do seu projeto de exploração de minérios em Minas Gerais, o Projeto Apolo, que estava suspenso desde o ano de 2009 e voltou a ser pauta dentro da companhia durante o ano de 2021, com previsões para o início das operações nos próximos anos. 

Não perca outras notícias do setor:

Vale volta a discutir acerca do Projeto Apolo após 12 anos com a iniciativa suspensa

O Projeto Apolo é uma iniciativa anunciada em 2009 que era voltada para um novo modelo de mineração que iria necessitar de cerca de R$ 4 bilhões e seria comandado na região de Minas Gerais, entretanto, a Vale nunca retirou o projeto do papel, até o ano de 2021. com o avanço da mineração ainda mais presente no mercado brasileiro, a Vale viu novas oportunidades de continuar com o Projeto Apolo e desenvolver uma linha de exploração na região. 

O principal motivo que levou o Projeto Apolo, que seria desenvolvido entre as cidades de Caeté e Santa Bárbara, na região central de Minas Gerais, foram as barreiras ambientais que o projeto enfrentou em relação à Serra do Gandarela, o que acabou atrasando o início e levando à Vale a deixar o projeto de lado, mas a empresa voltou a discutir acerca do Projeto Apolo e já está bastante otimista em relação ao licenciamento necessário para colocar a iniciativa em prática de uma vez por todas. 

A Vale comentou acerca das reformulações pelas quais o projeto passou e como ela teve que mudar algumas logísticas nas operações para que a mineração no local possa ocorrer de forma mais sustentável e ecológica. A empresa também afirmou que “Além da eliminação do uso de barragens, a versão remodelada também traz reduções significativas na área do projeto, no consumo de água e na emissão de carbono”.

Projeto Apolo conta com um novo conceito para a exploração de minérios na região de Minas Gerais 

Após ter suspendido o projeto em 2009 devido aos atrasos e problemas em relação ao compromisso ambiental na região, a Vale lançou um novo conceito para o Projeto Apolo e visa uma mineração mais sustentável na região. Entre as diversas alterações que foram feitas no projeto, as principais incluem uma mina, usina, ramal ferroviário de oito quilômetros que se conectará à Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), eliminando a necessidade de barragem de rejeitos.

Outro ponto importante do novo conceito do Projeto Apolo para o compromisso com o meio ambiente é a redução no consumo de água e a empresa prevê a produção de cerca de 14 milhões de toneladas de sinter feed por ano utilizando apenas a umidade natural. A expectativa é de que a licença possa sair até 2027 e a operação se inicie em 2028 para que a empresa consiga começar a exploração no local. 

Além disso, a exploração dos minérios na região com o Projeto Apolo irá desenvolver cerca de 2600 empregos temporários e mais 2500 empregos fixos após a finalização do projeto, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico da região.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.