Início Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registra fraco desempenho no segundo trimestre e tem queda de 31%




Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registra fraco desempenho no segundo trimestre e tem queda de 31%

agosto 19, 2022 às 4:53 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Companhia Siderúrgica Nacional
Companhia Siderúrgica Nacional (Reprodução: divulgação)

Somente no segundo trimestre de 2022, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registrou uma receita líquida de R$10,56 milhões, ou seja, 31% a menos frente ao mesmo período de 2021. Comparado ao primeiro trimestre de 2022, houve uma queda de 10,2%. Basicamente, isso ocorreu devido aos ajustes negativos do preço Platts para o minério de ferro, que acabou não compensando o maior volume de vendas verificado no período.

Sendo assim, o lucro líquido da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) atingiu R$369 milhões no trimestre, com queda de 93% em relação ao mesmo período de 2021 e 73% abaixo do primeiro trimestre de 2022, devido ao impacto do ajuste do preço do minério de ferro, que foi compensado pelo sólido resultado da cirurgia e pelo resultado recorde de cimentos.

Ainda no segundo trimestre, o EBITDA ajustado da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) somou R$3,26 milhões, com queda de 60% frente ao segundo trimestre do ano passado, e de 31% sobre o primeiro trimestre de 2022. Além disso, a margem Ebitda caiu 53,1% no segundo trimestre de 2021, marcando 29,7%, no segundo trimestre deste ano, com queda de 23,3% sobre o mesmo período do ano passado, e redução de 9,2% sobre os três primeiros meses de 2022.

Basicamente, a redução de lucros é consequência direta do desempenho no segmento de mineração, com o menor valor do preço do minério de ferro no período. Em comparação com outros segmentos, nota-se uma estabilidade em siderurgia, e uma forte recuperação de rentabilidade no setor de cimentos, que agora tem margens acima dos 30%, marcando 34,2% no 2T22. Ao fim do segundo trimestre de 2022, a dívida líquida consolidada da CSN bateu R$21,03 milhões, com a manutenção de caixa na Companhia e com o indicador de alavancagem medido pela relação Dívida Líquida/EBITDA, que atingiu 1,31x. Sendo assim, o aumento da alavancagem é consequência da variação cambial e dos desembolsos feitos no período, tais como o pagamento de dividendo e JCP.

Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) realiza grandes investimentos no segundo trimestre

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) continua ativa para aumentar a sua dívida e conclui durante o trimestre a operação de longo prazo com a SAC, no valor de US$375 milhões, na sua subsidiária CSN Mineração (CMIN), que emitiu sua operação de debêntures de infraestrutura avaliado em R$1,4 bilhão. Ao todo, a CSN investiu R$838 milhões no segundo trimestre de 2022, garantindo um aumento de 20% contra o trimestre anterior, sendo resultado do avanço nos projetos de expansão da mineração, como os realizados em Itabirito, expansão do porto e filtragem de rejeitos. Por outro lado, também tivemos reparos nas operações de siderurgia e nas baterias de coque da UPV.

Além disso, as ventosas de aço somaram 1,066 milhão t, o que representa uma queda de 17% frente ao mesmo trimestre de 2021, sendo que as vendas de minério de ferro alcançaram 7,57 milhões de toneladas, sendo 17% menor do que no mesmo período de 2021. Em relação ao primeiro trimestre de 2022, as vendas de aço e minério de ferro tiveram queda de 8%, e crescimento de 9%, respectivamente. Além disso, a produção de placas da CSN somou 899 mil toneladas no segundo trimestre de 2022, garantindo uma posição estável. Por fim, a produção de laminados planos atingiu 767 mil toneladas, o que representa uma grande queda de 7,3%, quando comparado ao primeiro trimestre. Isso ocorreu devido às manutenções planejadas na linha de produção.

Leia mais: Samarco e Rogesa fecham parceria para produção de minério de ferro com alto nível de descarbonização

Relacionados
Mais recentes