Thursday, 20 de January de 2022

Vale vende mina Moatize e Corredor Logístico Nacala por U$ 270 milhões

A mineradora Vale anunciou uma parceria com a Vulcan Minerals para a venda da mina de carvão Moatize e o Corredor Logístico Nacala por um total de U$ 270 milhões

A mineradora Vale anunciou uma parceria com a Vulcan Minerals para a venda da mina de carvão Moatize e o Corredor Logístico Nacala por um total de U$ 270 milhões

A Vale é uma gigante no setor da mineração no Brasil e, visando uma nova estratégia de crescimento de lucros e negócios, a empresa anunciou nesta última terça-feira, (21/12), uma parceria fechada com a Vulcan Minerals para a venda da mina de carvão Moatize e do Corredor Logístico Nacala, por um total de U$ 270 milhões.

Veja também:

Mina de carvão Moatize e Corredor Logístico Nacala são vendidos pela Vale para a Vulcan Minerals 

A Vale vem há alguns anos buscando novas parcerias internacionais e procurando mais responsabilidade ambiental nas suas operações. Agora, a empresa fez o anúncio de uma parceria com a empresa do setor da mineração Vulcan Minerals para a venda da mina de carvão Moatize e do Corredor Logístico Nacala, os quais agora fazem parte da companhia internacional, que ofereceu um valor total de U$ 270 milhões para a compra de ambas as operações da mineradora. 

Eduardo Bartolomeo, CEO da Vale, divulgou uma nota comemorando a parceria com a Vulcan Minerals e destacando a relevância desse acordo para o futuro da mineração no mercado internacional, além de destacar a importância das operações de Moatize e Nacala para a empresa. O executivo afirmou também: “Tenho o prazer de anunciar este importante passo para o desinvestimento responsável de Moatize e CLN, em uma transação que beneficia as comunidades e governos onde essas operações estão localizadas e oferece um futuro sustentável para as operações”.

A conclusão da parceria entre as empresas ainda não está definida, já que o acordo está sujeito ao cumprimento das condições precedentes usuais, incluindo a aprovação do Ministério de Recursos Minerais e Energia de Moçambique, onde está a mina. Assim, a Vale e a Vulcan Minerals aguardam as resoluções para os processos finais da venda. 

Acordo para finalização do pagamento de U$ 270 milhões irá durar, no mínimo, 10 anos

Apesar de ter fechado uma parceria com a Vulcan Minerals para o recebimento de um total de U$ 270 milhões, a Vale ainda irá aguardar alguns anos para esse montante total, uma vez que 80 milhões de dólares serão entregues na conclusão da transação e 190 milhões de dólares serão entregues até a conclusão. Além disso, a mineradora afirmou que a parceria se trata de um Acordo de Royalty de 10 anos, sujeito a certas condições de produção da mina e preço do carvão.

A Vale ainda segue nos esforços para não possuir ativos de carvão e destacou que “A Vale está empenhada em trabalhar em conjunto com os governos de Moçambique e do Malawi para garantir uma transição suave para a nova operadora”. A mineradora também ressaltou, em uma nota oficial, que está “focando em seus negócios core e em sua ambição de se tornar líder na mineração de baixo carbono”.

O acordo da Vale com a Vulcan Minerals simboliza um grande passo para a venda de todos os ativos de carvão da mineradora e um salto para um futuro com mais responsabilidade ambiental e compromisso com a redução dos impactos ao meio ambiente nas operações.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.