Início Serra Alta Mineração investe R$1 bilhões no Tocantins e pretende gerar 800 empregos diretos com ”Projeto de Ouro”




Serra Alta Mineração investe R$1 bilhões no Tocantins e pretende gerar 800 empregos diretos com ”Projeto de Ouro”

agosto 16, 2022 às 10:24 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Serra Alta Mineração
Serra Alta Mineração (Reprodução: divulgação)

Na última semana, a Serra Alta Mineração divulgou uma parceria com o Governo do Tocantins, Instituto Natureza do Tocantins, Instituto Terras do Tocantins (Itertins), Agência de Mineração do Estado (Ameto) e a Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (Sics), para viabilização a criação de 800 empregos diretos através do “Projeto de Ouro” no município de Monte do Carmo.

Neste sentido, o projeto tem investimentos de R$1 bilhão com início das obras previstas para 2025. Além disso, a parceria entre governo e prefeitura almeja oferecer apoio a incentivos ao empreendimento, contribuindo com a ação de órgãos reguladores para que todas as demandas sejam atendidas com qualidade.

Neste sentido, Mauro Mota, presidente da Ameto, apontou que a parceria com os órgãos estaduais é essencial para facilitar a aproximação da mineradora com os serviços públicos do estado. Além disso, ele apontou que o grande interesse da empreitada é estreitar a relação com os órgãos estaduais, que devem coexistir entre a empresa e o serviço público.

Por outro lado, o diretor de operações da Serra Alta Mineração, Kurt Herwing, afirma que a escolha da região ocorreu devido a sua natureza geológica. Isso porque a Serra do Carmo tem histórico, desde os bandeirantes, de produção de ouro. Além disso, a empresa pretende encontrar ambientes férteis para a produção de materiais em geral, o que levou a empresa a investir no local.

Sendo assim, ele acredita que o início das atividades de implantação do projeto deve ocorrer no segundo trimestre de 2023, enquanto a mineração deve ocorrer, de fato, cerca de 2 anos depois. Hoje, o investimento total da empreitada está estimado em US$200 milhões, cerca de R$1 bilhão.

Serra Alta Mineração oferece R$133 milhões de investimentos

Atualmente, a Serra Alta Mineração já injetou na economia do Tocantins mais de R$133 milhões. Com o novo projeto, é esperado que 800 empregos diretos sejam gerados, mas, hoje, a empresa ainda atua com uma terceirizada, onde gerou 100 empregos no trabalho inicial de pesquisas e administração do projeto. Hoje, Monte do Carmo possui 70 pessoas empregadas pela terceirizadas, enquanto outras 30 trabalham diretamente para a Serra Alta Mineradora. 

Carlos Humberto Lima, secretário de Estado da Indústria, Comércio e Serviços (Sics), apontou que o setor de mineração possui grandes benefícios para os municípios onde é instalada e que, atualmente, o Tocantins possui um enorme potencial. Além disso, ele aponta que houve um grande avanço com a publicação do estado de seu mapa geológico, que permitiu às empresas interessadas na região a descobrir novos horizontes de investimentos.

Também neste sentido, ele afirma que o novo projeto terá um aporte três vezes maior do que o ocorrido em Almas, em um projeto desenvolvido pela Aura Minerals. Sobre o novo investimento, ele acredita que cerca de 15kg de ouro serão coletados por aí. Além disso, ele acredita que a transparência do Poder Público aos investidores, permite uma corrida de mineração no estado.

Por outro lado, ele aponta a importância do ISSQN, um tributo município no qual as empresas estão submetidas, oferecendo prestação de serviço de terceiros, especialmente na movimentação dos volumes de minério. Por isso, toda essa tributação fica no município, além de outros como o ICMS sobre mercadorias, que gera um grande crédito para o município escolhido.

Por outro lado, Renato Jayme da Silva, presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), apontou que as licenças ambientais concedidas pelo órgão estão em tramitação, especialmente devido ao grande número de reuniões entre a entidade e a empresa. Sendo assim, ele acredita que a agilidade do órgão ambiental é um grande diferencial no desenvolvimento econômico e sustentável do Estado, especialmente por obedecer a legislação ambiental vigente.

Leia mais: CSN negocia com credores da produtora de minério de ferro Samarco e ela informa que não está a venda.

Relacionados
Mais recentes