Thursday, 28 de October de 2021

Mineradora recebe seis caminhões gigantes autônomos da Komatsu, para atuação em operações no estado do Pará

Mineradora – caminhões – Komatsu

Os novos caminhões da Komatsu que a mineradora recebeu funcionam por um sistema inteligente, com GPS, radares e sensores

No maior complexo de extração de minério de ferro do mundo, localizado em Carajás, no Pará, caminhões autônomos gigantes estão sendo colocados em operação. Seis unidades dos caminhões de mineração Komatsu totalmente autônomo, que não precisam de um motorista para funcionarem, estão sendo usados no local. Mais quatro unidades serão entregues até o final desse ano à mineradora. Confira também esta notícia: Vale investe R$ 200 milhões em frota de dez caminhões autônomos para uso em Carajás (PA), a maior mina a céu aberto do mundo

Os caminhões já entraram em operação pela mineradora

São seis autônomos da Komatsu importados para operar no complexo de extração de minério de ferro do mundo, localizado em Carajás, no Pará. Até o final de 2021, mais quatro caminhões devem entrar em circulação. O controle é feito por tecnologias de inteligência artificial com dados coletados por GPS e radares, fazendo com que os caminhões autônomos da mineradora percorrem o trajeto determinados previamente. A tecnologia faz o caminhão parar se detectar obstáculo no caminho, como outros veículos, mesmo que de pequeno porte e pedras grandes.

O sistema de segurança conta com sensores que detectam diversos tipos de objetos, como pedras grandes, veículos de pequeno porte, outros equipamentos tripulados, bem como obstáculos gerais nas proximidades da pista. Com isso, situações de risco, como tombamento, atropelamento e colisão, são eliminadas do processo. Além dos ganhos em segurança para os trabalhadores, o uso de caminhões autônomos representa ganhos ambientais significativos à mineradora.

Capacitação para operar os caminhões gigantes da Komatsu

“Com os controles autônomos, previsão e repetibilidade associadas ao sistema, conseguimos maior vida útil dos equipamentos e seus componentes. Outro ponto a destacar, de acordo com nossos dados globais, é a melhoria de cerca de 40% na vida útil dos pneus e freios, e em uma redução de 13% na manutenção geral, o que leva à diminuição dos resíduos gerados se comparado com a operação tripulada. Com isso, temos também redução da emissão de gases poluentes na atmosfera”, explica Javier Mitsuyo Matsuda, gerente-executivo do Projeto AHS (Sistema de Transporte Autônomo) da Komatsu.

Em Parauapebas-PA, foi montado um centro de treinamento pela mineradora, dedicado à capacitação de pessoas envolvidas na operação desses gigantes. Estão sendo oferecidos treinamentos aos colaboradores para a operação adequada dos novos equipamentos autônomos. Até o momento, mais de 50 profissionais já foram capacitados, número que deve chegar a 120 pessoas até o final do ano.

Atualmente, mais de 400 caminhões autônomos Komatsu são usados em todo o mundo, com os primeiros veículos sendo usados desde 2008. No total, mais de 4 bilhões de toneladas de materiais já foram movimentadas em diversas mineradoras por esses caminhões. Além dos basculantes, o sistema AHS também está sendo aprimorado para o uso em caminhões-pipa. Em testes atualmente, o caminhão funciona completamente sozinho, em todos os ciclos da operação da água, e deverá estar pronto para venda a partir de 2022.

Confira ainda: As três maiores mineradoras do mundo (BHP, Rio Tinto e Vale) querem desenvolver soluções elétricas em caminhões usados nas minas

As três maiores mineradoras do mundo BHP Billiton, Rio Tinto e a Vale informaram em uma teleconferência global para empresários, fornecedores e start-ups que pretendem desenvolver soluções para a eletrificação de grandes caminhões usados ​​em minas. As mineradoras explicaram em comunicado conjunto, que o objetivo é fornecer uma solução que não apenas melhore a segurança e a eficiência da produção das baterias, mas também substitua o diesel por baterias, reduzindo, significativamente, as emissões durante as operações.

Este plano das maiores mineradoras foi apresentado em um momento em que os metais básicos se tornaram cada vez mais importantes, como uma importante matéria-prima para a produção de baterias. O Desafio de Inovação Charge On, como foi denominado o programa das mineradoras Vale, BHP e Rio Tinto, possui como objetivo gerar soluções para realizar a substituição do diesel por baterias nos grandes caminhões.

Roberta Santiago
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos