Friday, 03 de December de 2021

Com investimento bilionário, Sigma Mineração irá iniciar construção da planta de exploração de lítio no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais

Sigma Mineração irá iniciar a construção da planta de exploração do lítio no Vale do Jequitinhonha com investimento bilionário na região

A empresa do ramo da mineração sustentável Sigma irá iniciar a construção da planta de exploração do lítio no Vale do Jequitinhonha com investimento bilionário na região 

Durante esta última quinta-feira, (11/11), a Sigma Mineração anunciou o início da construção da planta de exploração do lítio no Vale do Jequitinhonha, com investimento bilionário que chegou a cerca de R$ 1,2 bilhão. A empresa pretende expandir a sua produção do lítio de forma sustentável e já está dando os passos iniciais para o projeto na região.

Veja também:

Planta de exploração do lítio recebe investimento bilionário para a construção no Vale do Jequitinhonha

A unidade de exploração do lítio que a empresa de mineração Sigma irá construir no Vale do Jequitinhonha utilizará a reserva da região, mais especificamente dos municípios de Itinga e Araçuaí. O investimento inicial para a construção da planta de exploração é de R$ 1,2 bilhão e a empresa tem como objetivo manter uma produção sustentável na região. Assim, ela pretende produzir, apenas na primeira fase do projeto, cerca de 220 mil toneladas de lítio puro com uma mineração mais sustentável. 

A Chief Strategy Officer e co-presidente do Conselho da Sigma, Ana Gardner, comentou acerca do projeto no Vale do Jequitinhonha e afirmou que “A fábrica já nasce sustentável com valores da ESG, preocupação sustentável e ambiental, além de fornecer os insumos para as maiores fabricantes de baterias do mundo que ficam na Europa e nos Estados Unidos. Isso faz com que o Vale do Jequitinhonha tenha mais visibilidade e consiga mais investimentos para o setor”.

Assim, após a finalização da construção do projeto, a Sigma será a maior empresa da mineração do mundo inteiro com uma produção de lítio puro que reutiliza 100% da água dos processos e que pratica o  empilhamento a seco de 100% dos rejeitos. O objetivo da empresa é, além de expandir a sua produtividade na exploração do lítio puro, servir de referência mundial no ramo da mineração sustentável e ecológica. 

Sigma pretende dobrar a produtividade nas próximas fases e priorizar o desenvolvimento da região 

Um dos principais benefícios do projeto de mineração sustentável da Sigma no Vale do Jequitinhonha é a geração de empregos na região e o seu desenvolvimento. Somente na fase inicial do projeto, cerca de 200 postos de trabalho serão preenchidos, com prioridade aos moradores locais da região. Assim, a empresa conseguirá movimentar o capital regional, empregar a população e contribuir para um desenvolvimento ainda maior no local. 

Ana Garder também comentou acerca das próximas fases do projeto e da possibilidade de crescer ainda mais em relação à produtividade da exploração do lítio puro na região. A executiva destacou os principais objetivos da empresa e afirmou que “com um desenvolvimento tecnológico de qualidade, preocupados com as questões ambientais e, principalmente, entregar um lítio com um grau de pureza alto para as maiores produtoras de baterias para carros elétricos do hemisfério Norte, isso acaba revertendo para o Brasil como um benefício muito grande para o Vale do Jequitinhonha”.

Para as próximas fases, a Sigma irá investir cerca de R$ 2,4 bilhões e pretende dobrar a produção de lítio puro na região. Assim, além de manter empresa crescendo no mercado nacional, a companhia irá contribuir para o crescimento da mineração sustentável e o desenvolvimento da região do Vale do Jequitinhonha com a geração de empregos para os moradores.

Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.