Início Investimento alto em mineração: Mato Grosso do Sul, maior reserva de manganês do Brasil, recebe R$5 bilhões em investimentos




Investimento alto em mineração: Mato Grosso do Sul, maior reserva de manganês do Brasil, recebe R$5 bilhões em investimentos

agosto 8, 2022 às 6:45 pm
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Investimento alto em mineração
Investimento alto em mineração (Reprodução: divulgação)

A Secretaria de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar do Mato Grosso do Sul (Semagro), revelou que o Investimento alto em mineração no estado devem ultrapassar a marca de R$5 bilhões nos próximos dois anos. Dessa forma, o Mato Grosso do Sul de abrigar projetos de ferro, cobre, manganês, calcários, fosfatos, rochas ornamentais, água mineral e muitos outros.

Investimento alto em mineração: atualmente, o Mato Grosso do Sul possui a maior reserva de manganês do Brasil, sendo a segunda maior reserva de calcários e a terceira maior reserva de ferro de alto teor, portanto, isso atrai diversos investidores nacionais e estrangeiros. Além disso, o estado está localizado em uma área estratégica, ideal para o escoamento de minerais.

Conforme dados da Agência Nacional de Mineração (ANM), o Mato Grosso do Sul emitiu 72 requisições de pesquisa, 21 álvares de pesquisas e 10 requerimentos de licenciamento, todos em 2022. Dessa forma, as empresas poderão injetar até US$ no estado entre 2022 e 2024.

Neste sentido, os investimentos da indústria de mineração em nível nacional deverão ultrapassar os US$40,4 bilhões entre 2022 e 2026, conforme uma estimativa do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM). A quantia para o quinquênio, divulgado pela entidade pela primeira vez, indica uma queda brusca de quase US $900 milhões comparados com a projeção de investimentos para o período de 2021/2025.

Sendo assim, por ter a terceira maior reserva de minério de ferro e a primeira de manganês no Brasil, o Mato Grosso do Sul deve ampliar a exploração mineral neste ano. Dessa forma, a força do segmento é mostrada pelos três novos moradores que estão se instalando no estado. Em Corumbá, temos a 4B Mining e a 3A Mining, que deverão produzir 4 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, tendo capacidade para produzir até 8 milhões.

Mato Grosso do Sul terá mineradoras para explorar o seu poder mineral

Além do potencial mineral, a cadeira produtiva aposta na melhoria da logística pela retomada do processo de licitação da Ferrovia Malha Oeste, que liga Corumbá a Mairinque, em São Paulo, e ainda garante o retorno de partes das atividades da hidrovia no Rio Paraguai.

Dessa forma, as mineradoras que estão sendo instaladas são a MPP/4B Mining, 3A Mining e a Mineração São Francisco em Corumbá, e a Ladário, para ferro e manganês, no Morro do Rabicho, e também no Morro Tromba dos Macacos. Além disso, um outro empreendimento é uma mineradora de basalto, que deverá ser instalada no município de Inocência, que ao total irá gerar mais de 400 empregos diretos e mais renda para as cidades e ao Estado.

Neste sentido, a informação foi dada pelo secretário Jaime Verruck, que pertence à Secretaria de Meio Ambiente , Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) Sobre a situação, ele afirmou que a empresa está em busca de novos investidores, e dialogando com diversas empresas, que tenham pesquisas aprovadas ou com portarias de lavras. Além disso, eles estão realizando um acompanhamento da questão da negociação da Vale, além do player que venha a assumir o espaço que a empresa ocupa hoje no estado. Sendo assim, ele afirma que o objetivo é que o novo dono amplie a produção de minério de ferro e manganês, nos próximos anos.

Ainda de acordo com o secretário, as novas empresas já estão organizando suas operações. Ele afirma que a 4B Ming já está extraindo minério de ferro, logo, são duas mineradoras de minério de ferro e outra responsável pela parte de britagem de basalto para a indústria da Construção Civil e Agricultura, conhecidos como remineralizadores.

Leia mais: Confira as 7 maiores empresas de mineração do Brasil, atualizado 2022.

Relacionados
Mais recentes